Um paraíso (in)tocado

Imagine o paraíso. Praias ensolaradas de areia branca contrastando com o verde bandeira da vegetação nativa de coqueiros e arbustos e um mar de águas cristalinas com barcos de madeira enfeitados com flores e laços coloridos. Bem-vindos à Tailândia!

Quando pensava nessa viagem, sabia que era pela Tailândia que tínhamos que começar. Não fazia muito sentido, já que depois teríamos que descer para a Austrália e subir de novo para a China, etc. Seja como for, era algo meio intuitivo. Sempre nutri uma paixão pela Tailândia que não sabia explicar ao certo de onde vinha. Acho que muito disso tinha a ver com as praias, meu habitat preferido.

Além do mais, precisávamos de férias. E precisávamos desacelerar! Não dava para começar uma viagem pelo mundo já na correria de um lugar para o outro. Então mal nos adaptamos ao fuso-horário da Tailândia na nossa primeira semana em Bangkok e já descemos para o sul do país para explorar o Golfo da Tailândia.

Decidimos ficar em Koh Tao e… Que lugar! Nos hospedamos em Sairee Beach, praia no centrinho da ilha, e ali mesmo já ficamos encantadas com a cor da água e energia da natureza que nos presenteou logo de cara com um pôr do sol incrível já na chegada.

Ficamos uma semana em Koh Tao e apesar de muitas pessoas alugarem scooters para conhecer as praias da ilha resolvemos fazer tudo a pé. Curtimos fazer trilhas então foi bem bacana explorar cada pedacinho da ilha assim.

Estávamos deslumbradas com tamanha beleza da ilha até chegarmos em Ao Leuk, uma das praias de Koh Tao onde nos recomendaram fazer snorkeling. A praia era linda mas havia quase mais plástico no mar do que peixes. Sem contar a quantidade de lixo na areia.

Ficamos indignadas com aquela cena e nos questionamos como aqueles turistas todos que estavam lá conseguiam ignorar o lixo ao redor deles e ainda nadar no meio de tudo aquilo.

Aí veio a Nany com a brilhante ideia: “Se cada um juntasse um pouquinho, a gente limpava essa praia rapidinho.” E assim resolvemos fazer nossa parte e  começamos a juntar todo o lixo da areia que aos poucos foram virando pilhas gigantes. Não demorou muito e um casal  da Nova Zelândia se juntou a nós. Em poucas horas limpamos a praia!

Depois falamos com os locais e descobrimos que muito daquele lixo vinha pelas correntes do oceano já que a praia era limpa todos os dias pela manhã. E foi assim, em Koh Tao, que percebi que o paraíso distante já não era mais intocado como eu idealizava se não que muitas vezes degradado pelo ser humano.

Koh Nang Yuan

Ao lado de Koh Tao, há poucos minutos de barco, também está a belíssima Koh Nang Yuan. Esse é outro pedaço de paraíso apesar de ser um pouco tumultuado pela quantidade de turistas que, assim como nós, queriam desfrutar daquelas águas calmas separadas por estreitas faixas de areia branca.

Do alto de um morro depois de uma longa subida, tivemos uma vista deslumbrante da ilha. Aí lembrei de uma coisa que meu tio sempre dizia, que os lugares mais bonitos são sempre os mais difíceis de serem alcançados. Acho que ele tem razão.

5a6470eb63ba3d1736c75148b9ba08d5 s 80 d mm r g

Author: Aline Presa

Jornalista, filmmaker e fotógrafa. Minha paz encontro na natureza, minha paixão em viagens, culturas e lugares e minha inspiração nas histórias das pessoas.