Sawadee ka! Oi Tailândia!

Se eu tivesse que definir Bangkok em sensações, eu diria que ela tem cheiro de Pad Thai, gosto de sorvete de coco, som barulhento de buzinas de carros e tuk tuks, toque firme e revigorante de uma massagem tailandesa e a beleza e grandeza de seus templos. 

Estamos na Tailândia! Depois de 25 horas de viagem e mais algumas horas em aeroportos, chegamos a caótica e encantadora Bangkok, nosso primeiro destino dessa viagem que não tem um roteiro ao certo nem data para terminar.

Nos hospedamos na Khao San Road, reduto de mochileiros do mundo inteiro que vem pra cá. Por ali muitos bares, música alta, comida de rua, comércio de roupas baratas e gente, muita gente! Numa rua paralela, descobrimos a Rambuttri Street, com vários restaurantes e bares legais, casas de massagens e spas, e bem menos tumultuada do que a Khao Sao Road.

IMG_8200Andar com os apressados tuk tuks, os famosos triciclos asiáticos, é uma aventura a parte.

Já no primeiro dia provamos o tradicional Pad Thai, prato típico da culinária tailandesa feito com macarrão de arroz, camarões, frango ou tofu, amendoim, broto de feijão, ovos, e condimentos. O Pad Thai também é feito e vendido em todas as ruas e esquinas da cidade. Aliás, vendedores ambulantes é o que não faltam por aqui.

Com uma infinidade de produtos ao alcance das mãos, eles oferecem de tudo… de paus de selfie à espetinhos de escorpião. Ficamos longe dos insetos por enquanto e preferimos provar a diversidade de frutas que são vendidas descascadas e picadas por preços bem acessíveis. Dos mais doces abacaxis às coloridas pitaias. 

Dessa primeira vez ficamos uma semana em Bangkok e como não queremos fazer maratonas para conhecer os lugares, andamos com calma por algumas atrações turísticas da cidade e também sem nenhuma pretensão por ruas e parques. Um dos lugares que descobrimos ao acaso foi um ginásio de muay thai – esporte tradicional do país.  

IMG_8998.jpgGinásio local de muay thai também treina estrangeiros que praticam a luta. 

Conhecemos ainda a parte mais moderna e desenvolvida da cidade, o complexo de Siam na área central, com shoppings imensos e lojas de grife. E claro, precisamos experimentar a famosa e dolorosa massagem tailandesa num spa muito aconchegante onde deixamos alguns bahts que foram muito bem gastos por sinal. 

Toda a Tailândia é repleta de templos budistas. Em Bangkok, andamos por alguns dos mais famosos – a cidade tem uma infinidade deles –  e a beleza, riqueza de detalhes e arquitetura singular impressionam qualquer um. Dessa vez visitamos o Wat Pho, que tem um imenso Buda reclinado de 43 metros; e o Wat Arun, conhecido como Templo do Amanhecer, que é inteiro decorado com mosaicos feitos de porcelanas quebradas. 

IMG_7930.jpgVista externa do Wat Pho, que abriga um imenso buda reclinado.

É incrível como Bangkok consegue ser harmoniosa em meio a tantos contrastes. De um lado as ruas caóticas com seus infinitos fios pendurados entre os postes de luz e do outro a modernidade de seus arranha-céus e a limpeza e silêncio de seus templos.

Além disso, nos arredores de Bangkok conhecemos o mercado flutuante Damnoem Saduak, um dos maiores e mais famosos da região, e a bela cidade de Ayutthaya, famosa por seus templos e pelas centenas de estátuas de budas decapitados. Ambos são programas imperdíveis pra quem não quiser se limitar às atrações locais e a vida noturna da cidade cosmopolita. 

Pela infinidade de opções e coisas para se fazer, acho que uma semana foi pouco tempo em Bangkok. Ficamos com aquele gostinho de quero mais e com certeza ainda vamos voltar para essa cidade vibrante que além de tudo sempre vamos ter um carinho especial já que foi nossa porta de entrada no sudeste asiático.

 

 

5a6470eb63ba3d1736c75148b9ba08d5 s 80 d mm r g

Author: Aline Presa

Jornalista, filmmaker e fotógrafa. Minha paz encontro na natureza, minha paixão em viagens, culturas e lugares e minha inspiração nas histórias das pessoas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *